Mostra de Filmes

19 de agosto

“Criando corpo em Kumarumã”

Um filme de Antonella Tassinari.

Com debate de Beleni Grando.

O vídeo apresenta cenas cotidianas das crianças Galibi-Marworno da aldeia de Kumarumã, Terra Indígena Uaçá, município de Oiapoque/AP. O roteiro foi elaborado em conjunto com o cacique Paulo Roberto Silva e com Manuel Severino dos Santos, para mostrar aspectos importantes da educação para os Galibi-Marworno: os cuidados com a gravidez, parto, puerpério e as estratégias para produzir o corpo das crianças. “Criar o corpo da aldeia”, desenvolver e amadurecer o corpo, são processos que as crianças vivenciam através das brincadeiras e na aprendizagem das habilidades que garantem sua saúde e autonomia.

criando corpo

Produção, Imagem e Direção: Antonella Tassinari.

Roteiro: Antonella Tassinari, Paulo Roberto Silva e Manuel Severino dos Santos.

Edição: Marcos Albuquerque.

18′ 22”

Local: Auditório do CECH (AT2) – 17h


20 de agosto

“Histórias dos caçadores e das caças: uma forma de compreender a cosmologia Xakriabá”,

um filme de Edgar Corrêa Xakriabá.

*Com a presença do diretor e debate com Beleni Grando.

Este filme é um curta metragem, sendo parte do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) “HISTÓRIAS E MODOS DE CAÇAR: Uma forma de compreender a cosmologia Xakriabá”. Com o objetivo de analisar e investigar por meio das histórias de caçadores e pelas brincadeiras de caçar das crianças, como se dão os aprendizados através das relações com o meio em que vivem: o mato, os bichos, as plantas e os encantos.

Direção, autoria e edição: Edgar Corrêa Xakriabá

11′:09”Foto de divulgação.

 

“Batendo Foice”
um filme de Rogério Corrêa, FAE/UFMG.
O filme foi realizado durante trabalho de campo entre os Xakriaba de MG, foca nos movimentos de grupos de crianças e de adultos utilizando a foice para capinar, em um exercício de discutir em forma audiovisual a aprendizagem das técnicas.
Dão de Selma, retornou do Mato Grosso nestes dias.

“Cuidando da Gente”

* Com a presença da diretora.

O documentário mostra as crianças da comunidade Tabocal do Uneiuxi, Santa Isabel do Rio Negro, (Médio Rio Negro, AM) falando sobre comida, os cuidados com a roça, a relação entre alimentos, saúde e sazonalidade, banho, brincadeiras e a dança/música típicas do Dabucuri. Para as crianças dessa comunidade (em grande parte Nadëb mas também Tucano, Tariano e Ianomâmi), como as de muitas outras comunidades tradicionais, trabalhar e brincar, estudar e jogar não são necessariamente oposições. O filme mostra como o cuidado de crianças é uma atividade integrada na vida familiar e comunitária e que o aprendizado infantil em Tabocal acontece na interação dessas com a natureza, com os adultos, entre si mesmas, no fazer cotidiano da vida comunitária, indo muito além daquele oferecido nos bancos escolares.

Documentário, 14 minutos, Tabocal de Uneiuxi, SIRN, AM, 2013.

filme cuidando da gente

Direção: Rita de Cácia Oenning da Silva e Kurt Shaw

Organização da Comunidade: Rosilene Fonseca Pereira

Edição: Rita de Cácia Oenning da Silva

“Escrito na Areia”

* Com a presença da diretora.

O filme é uma animação da história mítica narrada por Leidiana dos Santos Miranda, uma menina de 10 anos da comunidade indígena Tabocal do Uneiuxi, Santa Isabel do Rio Negro – AM. Conta a saga de um Jabuti enterrado na lama por uma anta, que em busca do inimigo, persegue a única pista deixada por esse: sua merda. Passados nove anos, o Jabuti vinga-se da Anta. A animação é feita com fotos dos desenhos das crianças da comunidade. Narrativa animada, 4 min, Tabocal de Uneiuxi, Santa Isabel, AM, 2013.

filme escrito na areia

Direção: Rita de Cácia Oenning da Silva e Kurt Shaw

Organização da Comunidade: Rosilene Fonseca Pereira

Edição e Animação: Kurt Shaw com fotos dos desenhos feitos na areia pelas crianças da comunidade

Local: Auditório do CECH (AT2) – 17h

 21 de agosto

“Nossa pintura”

* com a presença do diretor Thiago Oliveira.

A pintura que fabrica a cultura. Os índios Mebêngôkre-Kayapó, do sul do Pará, desvendam o universo cotidiano desta fabricação, aprendida em tempos mitológicos e transmitida de geração em geração. A continuidade desta tradição, em um mundo em constante transformação, faz com que as mulheres Mebêngôkre-Kayapó, detentoras deste conhecimento, reflitam sobre as diferenças entre índios e brancos.

 

nossa pinturaDocumentário, 24″ – Brasil, 2014.

Apresentado por:

Museu do Índio/FUNAI /UNESCO.

Realizado por: Kukradjá Nypênh: Guardando a cultura Mebengôkre Kayapó.

Direção: Fábio Nascimento e Thiago Oliveira.

 

Local: Auditório do CECH (AT2) – 17h

Anúncios